Parto Humanizado

Você já ouviu o termo parto humanizado? sabe ao que ele se refere? Já imaginou que existem condições específicas para que um parto seja humanizado?

Foi se tornando comum a ideia de que o parto humanizado, seria o parto natural, sem intervenções e na água, pois são situações que também ocorrem em um parto humanizado, mas não são as definições para dizer que um parto é humanizado.

O parto humanizado não deve ser considerado um tipo de parto e sim um processo que busca o protagonismo da mulher, o respeito a fisiologia, o respeito aos aspectos culturais, individuais e psíquicos da mulher e da família e promover e garantir o conhecimento e a escolha consciente da mulher durante o processo.  

Dessa forma a ideia do parto humanizado está além da maneira como o parto acontece, não importa se será na banheira, na banqueta, se a mulher escolhe o parto hospitalar ou o domiciliar, se terá analgesia ou não. Em todos esses contextos o parto pode e deve ser humanizado.

A humanização começa com a informação da mulher, sobre todos os processos fisiológicos que estará passando na gravidez, no parto e no pós parto, desmistificando alguns medos, mostrando a importância  de cada fase com embasamento científico e respeitando o que a mulher acredita ser o melhor para o seu momento.

Dessa maneira na sala de parto é priorizado o bem estar da mulher, podendo ela escolher colocar uma música, ter seu acompanhante por perto, uma luz amena, liberdade para se movimentar como desejar, as opções não farmacológica de controle da dor, como a banheira, a presença da doula para o suporte emocional, lembrando que esses aspectos são escolhas da mulher para que o ambiente esteja o mais confortável possível e assim o processo fisiológico pode seguir seu fluxo natural.

A assistência humanizada no parto, incentiva que a mulher faça seu plano de parto, para que assim ela pense em cada situação que pode ocorrer e tenha ideia de procedimentos que ela aceita que seja realizado caso necessário.

Além do parto essas informações e indicações se estendem para os procedimentos com o bebê logo após o nascimento, que se refere ao cordão, ao contato pele a pele, o uso de colírio, aspiração e etc.

Devido a diversas questões culturais e sociais, atualmente temos um índice considerado alto de cesária pela OMS (organização Mundial de Saúde) e muitas mulheres se sentem confusa sobre a real necessidade, se sentem mal por não terem tido o parto que imaginaram ou tiveram experiências traumáticas no momento do parto normal, pois tiveram situações não explicadas e que trouxeram diversas dificuldades.

A informação baseada em evidência científica é importante para que a mulher sinta que está no controle das decisões, que se ocorrer intervenções elas tem base para explicar sua necessidade, assim a mulher não terá a sensação de um parto roubado.

O Parto humanizado não é para impor uma maneira de se realizar o parto, mas sim para informar e permitir o protagonismo da mulher nesse processo.

A assistência na cesariana, também pode e deve ser humanizada, trazendo o respeito a vontade da mulher, a informação sobre os procedimentos realizados e manter o máximo possível os procedimentos que a mulher escolheu após o bebê nascer, como o contato pele a pele imediato com a mãe, não manter as mãos pressa e um ambiente mais acolhedor no centro cirúrgico.  

É importante que a mulher confie que sua equipe irá respeitar as suas vontades na hora do parto, que toda a indicação será feita com base nas evidências científicas, para que ela tenha um experiência positiva desse momento tão importante da sua vida.

Doula Camila Braga

O que é uma Doula?

 

 

Antigamente o parto era um evento familiar e entre as mulheres, além da parteira que realizava o parto, outras mulheres da família, como a mãe, uma irmã mais velha ou uma tia, estavam presente e orientavam e estimulavam a mulher no pré-parto, no trabalho de parto e no pós parto, auxiliando nas mudanças que a mulher iria enfrentar a partir daquele momento.

Conforme os partos foram sendo hospitalizados, aumentou os cuidados técnicos referente a saúde, porém o cuidado com o emocional da mulher neste momento do parto foi ficando de lado.

A Doula assume este papel de orientar, cuidar e incentivar a mulher sobre as mudanças e situações que ela irá enfrentar a partir daquele momento.

A Doula atua na busca de trazer informações para mulher, principalmente sobre os benefícios do parto normal, que é o recomendado pela organização mundial de saúde e tem uma taxa pequena atualmente no Brasil, principalmente por medo da dor e por falta de conhecimento dos seus benefícios.  

No pré parto a doula irá trazer para a mulher todas as informações sobre a gravidez, as vias de parto, amamentação e etc. Buscando diminuir a insegurança da mulher sobre o que irá enfrentar nas etapas da gravidez e do parto natural.

Durante o parto a Doula irá prestar o suporte emocional, lembrando os motivos da escolha da mulher, incentivando e auxiliando com o controle da dor de forma não farmacológica como massagens, bolsa de água quente, posições mais confortáveis e ambiente mais acolhedor, com baixa iluminação, óleos essenciais e aromáticos, além de auxiliar na comunicação explicando alguns termos técnicos para parturiente e o familiar que acompanha.

No pós parto a Doula irá atuar com orientações sobre os primeiros cuidados com o bebê, orientações com as mamadas e qualquer dúvida que a mulher tenha relacionado ao puerpério para que ela se sinta acolhida nesse momento tão diferente da sua vida.

Estudos atuais comprovam que com a presença da doula vem diminuindo o número de intervenções e complicações obstétricas, além de uma sensação de acolhimento e segurança para a mulher vivenciar a maternidade de forma plena.

A doula pode estar presente tanto no parto normal, como na cesariana, tendo autorização da mulher, do hospital e da equipe médica, já se comprovam benefícios da doula na cesariana, devido proporcionar um ambiente mais acolhedor e ser a referência de confiança para a mulher no procedimento cirúrgico.

A doula não realiza nenhum procedimento médico, não substitui nenhum dos profissionais tradicionais do parto e também  não substitui o acompanhante que a mulher tem direito na hora do parto.

Em diversas cidades Brasileiras a entrada da Doula nas maternidades já é assegurada por lei, deixando claro o seu papel diferenciado, não substituindo ninguém da equipe ou o acompanhante da família.

É importante ressaltar que o papel da Doula é de orientação e acolhimento, proporcionando para a mulher um conhecimento amplo sobre suas possibilidades e uma escolha consciente entre benefícios e riscos de qualquer procedimento, a doula não impõe nenhum procedimento para parturiente, nem mesmo a via de parto, essa escolha é exclusiva da mulher.

A mulher tendo acesso a informações científicas, terá mais clareza para tomar suas decisões, se sentirá mais confortável e preparada para o momento do parto e puerpério e sentirá apropriada do momento e dos procedimentos que são realizados nela e no seu filho que acaba de nascer.  

Doula Camila Braga

 

Endereço: Rua Padre Estevão de Pernet, 1059 , sala 106.

Próximo ao Metrô Carrão.

Telefone:  11-2936-4527/ 11-940135730 (APENAS whatsapp)

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now